domingo, 30 de dezembro de 2012

Tristania

Era uma noite chuvosa na ilha de Lodis, havia tempo que não caía um temporal tão intenso, e na vila de Colina Verde estavam todos em suas casas, exceto alguns homens que estavam na taverna Escudo Partido para se aquecer com alguma bebida quente. Colina Verde era uma vila que ficava no interior da ilha de Lodis, em território controlado pelo império Elorano que há muitos anos tentava, mas sem sucesso tomar a ilha por completo, pelo menos nas partes habitadas por humanos.

O ar no interior da taverna fedia a bebida e roupas molhadas, pelo menos com tanta intensidade que disfarçava outros tipos de odores, e no meio da noite três pessoas vestindo mantos pesados adentram à taverna. As três portam espadas e arcos, e uma delas carrega uma bolsa contendo um Grimório e alguns canudos para pergaminhos, esta parece ser a líder. Seus passos, apesar de decididos, fazem pouco barulho a cada pisada na madeira já bem gasta que compõe o piso da taverna. Ela olha um grupo de rufiões que se encontra apostando em uma mesa e segue em sua direção. Todos na taverna se silenciam. Em seguida a líder do trio tira um anel feito de prata do interior de sua bolsa e o põe na mesa de jogo e diz:

- Já encontrei o ladrão e aqui está o anel dele que ganhou como parte de seu pagamento. Agora eu quero a espada que ele roubou num túmulo do meu povo. E vocês vão falar, de um jeito ou de outro. - Diz a mulher que revela ser uma elfa de cabelos prateados e olhos verdes, enquanto ela permanece de pé diante dos homens.

Os homens se entreolham e tudo acontece muito rápido. Dois deles puxam facas e quase imediatamente duas outras facas atingem seus pulsos, fazendo com que larguem suas armas e uma terceira atinge as vestimentas de um dos rufiões que estava prestes a sair da taverna se a faca não tivesse sido fincada na parede prendendo sua roupa. Um quarto homem avança com uma cadeira contra a líder elfa, e uma de suas companheiras puxa uma espada e gopeia a cadeira, partindo-a. Ambas companheiras revelam ser elfas ao se posicionarem no combate de modo a render os homens. Apenas a líder não perdeu sequer parte da compostura após o início do combate, mesmo tendo sido dela as três facas atiradas. Os homens estão boquiabertos.

- Capitã! O que fazemos com essa corja? - Questiona uma das elfas apontando a espada para um dos rufiões e de olho nos demais.

- Mande que saiam sem as roupas do corpo, exceto este aqui. - Responde a líder. - Ele tem muito a responder. - E em seguida ela observa alguns mapas na mesa de jogo. - Diga homem! - a elfa pronuncia a palavra homem num tom que a põe como um insulto pior que porco - Quem é o sujeito que está agora com a espada que foi roubada?

O rufião nada responde, e chega a olhar de relance para uma das cartas  que estava na mesa. A elfa percebe o rápido movimento dos olhos e nota a carta. Ela a pega e começa a ler. Em seguida ela se levanta e faz sinal para que as demais a acompanhem.

As três deixam a taverna e seguem sua líder para fora dos limites da vila, quando elas alcançam um trio de unicórnios que estava num bosque ali perto. E a Líder delas diz:

- Irmãs Eloara e Marín! Voltem para a capital e digam a Lorde Tessan que sei aonde a espada estará e que irei sozinha atrás dela e a entregarei pessoalmente aos cuidados do rei Dulien, para que ele guarde a espada de seu falecido primo. E que é para não mandarem ninguém atrás de mim.

- Mas capitã Tristania! - Diz Eloara - Aonde tem de ir se arriscar de maneira tão imprudente? A ponto de se arriscar dessa forma?

- Ao submundo de Eloria, pois nessa carta está feita uma escrita em código utilizado pelas guildas ladinas de lá. E três elfos chamariam atenção demais. Agora vão. - Diz a capitã Tristania Fio de Prata, e em seguida ela parte, sendo obedecida pelas duas outras donzelas. E muitos anos se passaram desde esse dia. A capitã Eloara se lembra de sua primeira missão como uma das donzelas de Etruria  há cem anos como se fosse o dia anterior. Ela lamenta ter sido uma das poucas sobreviventes do grupo que serviu à capitã que se tornou general dos altos elfos, e que cometeu o erro de se apaixonar por um humano cavaleiro sagrado que caiu em desgraça e se corrompeu, e ela passou a ser caçada como traidora. Eloara lamenta muito, mas agora lhe resta uma missão, proteger a filha de sua general, a meio-elfa que passou no teste, que agora senta no trono dos altos elfos, a rainha Arcanya Fio de Prata.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Encerramento da mesa de GoT

Encerramento da mesa de GoT

Bom, finalmente consegui encerrar a campanha de GoT numa aventura repleta com combates épicos, traições, reviravoltas, cavaleiros e dragões. Aqui vai o resumo dos feitos:

Em Porto Real:

O rei Aegon finalmente inicia a marcha de suas tropas para porto Real, onde inciam o cerco para tomar a cidade. O cerco se prolonga bastante, até que Cecília Starhill, acompanhada de seus valentes cavaleiros, decide invadir a cidade pelos esgotos. sua invasão acabou sendo descoberta pelos guardas da cidade, que iniciam o confronto com os invasores. Cecília inicia uma fuga desesperada pela cidade e acaba sendo alcançada pelos guardas, que quando estavam prestes a violentá-la, a população da cidade se revolta confundindo-a com uma das moradoras locais e começam a apedrejar a guarda, iniciando assim uma revolta dentro dos muros da cidade. Ao ver isso, Aegon dá a ordem para que inciem a invasão, e o primeiro a adentrar os muros da cidade, vindo pelo porto foi Sor Renly, que junto com suas tropas, que conseguiu matar dois membros da falsa guarda do rei e manter os portões abertos para que o restante das forças entrasse. Em seguida ele encontra sua prima Cecília amparada pela população, ele a toma em seus braços e a leva para o porto, para que fosse abrigada em seu barco. Pela primeira vez na história dos 7 reinos, alguém resiste aos encantos de Sor Renly. Porto Real finalmente é tomada e o Rei Aegon VI finalmente toma seu trono de direito.

No Norte:

Tony e Lothar reunem o que conseguiram de suas tropas e partem atrás dos andarilhos brancos, conseguem chegar à cidade portuária de Gema do Norte, sob o controle de Jacob Dorgauld, que após uma dura batalha que as tropas da casa Bjorn têm com as criaturas, onde têm um merecido descanso. Tony tenta pedir a Jacob para que envie tropas com eles para Winterfell, mas o mesmo nega o pedido, apesar dos protestos de Tony. Tony parte com Lothar, e suas tropas assim que Lothar se recupera da batalha com o Andarilho Branco, e eles rumam até a fortaleza dos Stark, onde encontram ninguém menos que Stannis Baratheon sendo o novo Rei da Noite. E a batalha teve início. Os nortenhos estavam levando a pior, quando finalmente chegam os dragões para combater as criaturas e pondo fim à ameaça ao sul da muralha.

E após esse período, um novo período de reconstrução dos 7 reinos teve início.

Sor Renly - Após seus feitos em Porto Real, ele recebeu o título de protetor do Sul e se casou com a princesa Arianne Martell, tornando-se o Príncipe Renly Darkon

Lady Cecília - devido à confiança conquistada ao agir como emissária ao unir Aegon Targaryen e Sansa Stark, trazendo para o lado do rei dragão casas do Vale, do Tridente e o Norte, ela foi nomeada como membro do conselho menor em Porto Real, onde teve uma posição boa o suficiente para influenciar a nomeação de seu esposo Lorde Jacob Dorgaul como Lorde Regente e Protetor do Norte até que o filho de Robb Stark, o jovem Eddard, atingisse a maioridade.  teve mais duas filhas, uma delas bastarda do rei Aegon, totalizando um total de 6 crianças, dois meninos e quatro meninas.

Lorde Tony - Após a nomeação de Lorde Dorgauld como protetor do Norte, Tony inicia uma revolta no Norte e acaba sendo derrotado quando o mais poderoso de seus vassalos, Lorde Lothar, decide não mais seguir a casa Bjorn e se alia à casa Dorgauld. Tony é derrotado e lhe foi permitido permanecer como lorde da presa do Javali, mas seu primeiro filho ainda recém nascido, e um filho de cada um de seus lordes vassalos, fora levado como refém da casa Dorgauld para manter a paz.

Lorde Lothar - apesar de seus feitos durante a rebelião dos Bjorn terem lhe rendido o apelido de vira casaca, muitos admitem que foi essencial para que a guerra terminasse rápido e assim evitar mais derramamento de sangue num período de reconstrução.

Galwin Draenock - tendo sido capturado pelos homens de ferro numa viagem de barco, ele acaba como escravo nas ilhas de ferro.

Aaron Thorn, Ygritte, Elder Bjorn, Jaina Bjorn e Jon Arm - tombaram no cerco ao espinho do norte num ataque dos andarilhos Brancos.

Rei Aegon - casou-se com Sansa Stark, e os dois iniciaram uma nova dinastia nos 7 reinos.

Lorde Lucian Darkon - acaba se tornando o novo lorde de Avernus e encontra o assassino de seu pai e seu irmão e descobre a identidade do mandante.

Tiryon Lannister - após liderar um exército mercenário ele se torna o novo senhor de Rochedo Casterly.

Stannis Baratheon - Após se tornar o rei da noite e ter sido derrotado no norte, ele foi dado como desaparecido

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Tormenta RPG: Manual do Arcano

Saudações caros leitores;

Aos poucos estou voltando com as atividades aqui no meu Blog, e neste post estou a falar algo sobre o mais recente suplemento para o Tormenta RPG, o primeiro suplemento voltado para um grupo específico de classes, O manual do Arcano.
O suplemento cumpre bem aquilo a que se propõe, oferecendo novas opções para personagens magos e feiticeiros, tentando agradar gostos até bem distintos, seja por quem é mais interessado em regras, seja para quem quer fazer uma campanha estilo Harry Potter, ou algo mais voltado para quem quer montar uma campanha estilo Ars Magica, apresentando as mais variadas referências, sejam elas encontradas no rpg AD&D, ou no Pathfinder.
As magias de nono nível são realmente magias de nono nível, não havendo necessidade de um nível épico de magia, o que é muito bom. Aquela crítica que eu tinha sobre os primeiros materiais do TRPG foi bem recebida pela equipe, onde não vi nada gritante em nenhuma das classes, o que é muito bom.
Só me restam duas críticas em relação a esse suplemento: uma já antiga que é com relação às ilustrações, em que as mesmas ilustrações aparecem em vários suplementos, são sempre recicladas. A outra crítica é por faltar uma linhagem de feiticeiro que fizesse juz ao nome do cenário: A linhagem da Tormenta.

Voltando, o suplemento é realmente bom, valendo o que foi investido nele.

Bom jogo a todos.

sábado, 1 de setembro de 2012

A repercussão da página Diário de Classe no FaceBook

Fiquei um tempo dando uma olhada na página que essa aluna criou e pesquisando outras notícias envolvendo ela e a página na internet. O que pode ser concluído? Foi criado um monstro no sistema. A iniciativa da menina foi boa quando criou a tal página, divulgando a quem quisesse ver todo o tipo de problema presente na escola (me lembro que na eleição em que o César Maia ganhou do Conde foi feito algo muito parecido em uma escola pública também e às vésperas da eleição) e que para não deixar brechas para o rival fazer sua propaganda, a secretaria de educação fez aparecer rapidinho a verba e vontade política pra fazer as melhorias reivindicadas na escola, a menina foi quase uma âncora do Jornal nacional. E faz a segunda denúncia, novamente é prontamente atendida. O que ela conclui? Se ela postar tudo o que ela acha errado na escola numa página que já adquiriu grande visibilidade, os problemas serão resolvidos. Ela é uma menina de 13 anos, que descobriu que tem poder, e que está determinada a dar o jeito dela na escola, uma vez que as autoridades responsáveis só atuam quando estão sob pressão. E a menina não está sozinha, além dos outros alunos, há adultos e muitos deles professores apoiando esse tipo de postura que está se tornando excessivamente prepotente, e há anos isso já tem ocorrido, em blogs de alunos ou até mesmo no facebook, só que nenhum atingiu antes essa proporção, até 11 de julho de 2012. http://www.facebook.com/DiariodeClasseSC esse é o link para a página dela. Apesar da atitude condenável com relação ao professor, em que ela gravou uma aula em que a turma estava determinada a não deixar ele dar aula, ela tem razão em muitos outros pontos, e está pisando no calo de muita gente. Ela pode até vir a ser uma espécie de Lindberg da geração atual de estudantes do nível fundamental, uma vez que a idade mínima para se candidatar é de 18 anos. Mas uma hora ela vai pisar no calo da pessoa errada, e que essa pessoa não dá a mínima para o que está escrito no ECA, então ela vai descobrir da pior forma quem é o adulto e quem é a criança, receio que ela não vá ter a oportunidade de cometer outro erro, ainda mais levando em conta a maneira como está exposta e como há outros adultos irresponsáveis incentivando para que se exponha ainda mais.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Contos Eloranos: Um conto elorano: a história por trás da história

Contos Eloranos: Um conto elorano: a história por trás da história: "Era uma noite tempestuosa e a lua, quando podia ser vista brilhava vermelho como sangue, uma noite em que acontecimentos sinistros estariam ..."